Dicas Primeira Pessoa

Dica de livro: Os monólogos da Vagina

14/08/2019

Pela ordem natural, todo mundo deveria nascer através de uma vagina. Razão pela qual uma vagina deveria ser vista com toda a normalidade que merece. Mas não. Criam -se tabus, mitos, e até pra falar essa palavra, sem querer muita gente acaba sussurrando. Como se fosse pecado pronunciar V-A-G-I-N-A. Pois, se a sua vagina se vestisse, que roupa ela usaria? E se ela falasse, o que diria em apenas duas palavras? É com perguntas assim que a brilhante Eve Ensler nos faz dar boas risadas com o livro ” Os Monólogos da Vagina”. Mas não é só isso. Através de textos fortes como ” A lembrança da sua cara”, “Minha vagina era meu vilarejo” e “Debaixo da Burca”, Eve nos leva as lágrimas relatando a dor de mulheres violadas, estupradas, assassinadas.

Eis alguns pequenos trechos para comprovar o que acabei de dizer:

 

V-day

O livro é, na verdade, uma adaptação da peça homônima, escrita e dramatizada por Eve há mais de 20 anos ( e que continua sendo encenada em centenas de países até hoje). O texto foi baseado nas experiências de mais de duzentas mulheres entrevistadas por ela. Atriz, ativista pelos direitos das mulheres e dramaturga, Eve Ensler criou, a partir da peça, o V-day, um movimento global pelo fim da violência contra mulheres e meninas, que já arrecadou mais de 100 milhões de dólares para construir  abrigos, salvar vidas e manter centros de apoio a vítimas de estupro, violência doméstica e grupos ativistas da mesma causa.

Eve Ensler

Num mundo em que a opressão contra as mulheres ainda é gigante, um mundo em que pronunciar Vagina  ainda é constrangedor e onde o corretor toda hora muda Vagina por Vacina( socorro!) , obras e movimentos como esse precisam ser exaltados e compartilhados para que alcancem cada vez mais pessoas, para que haja, de fato, essa mudança que tanto desejamos, pois “toda mulher é única e tem valor para a sociedade em que vive, e tem direito de ser tratada com dignidade, respeito, amor e compaixão”.

Finalizo a indicação desta leitura com um trecho da introdução do livro escrito por Eve, nesta edição comemorativa:

 

“Quando você rompe o silêncio, descobre quantas outras pessoas vivem esperando uma permissão para fazer o mesmo. Nós – todos os tipos de mulheres, cada uma de nós, e nossas vaginas – nunca mais seremos silenciadas”.

Comentários

comments

Você também pode gostar